sábado, 20 de novembro de 2010

Diagnóstico de pulpite!

Questão da NE consultoria - Prefeitura Municipal dos Palmares 2007


Pergunta: Paciente jovem, com 12 anos, apresenta uma cárie profunda com exposição da câmara pulpar no elemento 26. O processo não dói, mesmo ao toque, embora sangre facilmente. O provável diagnóstico é:

a) pulpite crônica hiperplásica
b) pulpite crônica ulcerativa
c) pulpite reversível
d) pulpite irreversível
e) pulpite de transição


Resposta Comentada:

Já vi essa mesma questão em uns 4 ou 5 concursos diferentes. Então vamos conhecê-la bem.

Basicamente temos que ter um conhecimento de diagnóstico, especificamente a diferenças entre as Pulpites, já que todas as alternativas são deste tipo. Então vamos lá!

As Pulpites são basicamente processos inflamatórios da polpa vital. Importante deixar claro que elas não são doenças diferentes e sim diferentes estágios evolutivos da mesma doença.

O mais brando se chama Hiperemia ( Pulpite focal reversível). Nesse caso a polpa reage a um agente agressor aumentando a corrente sanguínea na região. A inflamação é pequena, a polpa aumenta de volume no confinado espaço da câmara pulpar e causa dor. Se o estímulo agressor cessar, a condição retorna a normalidade sem deixar sequelas. Ou seja, é um quadro reversível.

Se o estímulo agressor não cessa, a condição já se agrava para uma inflamação mais intensa, e irreversível. A fase intermediária entre os processos reversíveis e irreversíveis, pode ser chamada de Pulpite de transição, pois exibe características dos dois tipos.

Entrando no quadro irreversível, ela pode ser de dois tipos: Aguda ou crônica.

Pulpite Aguda: Neste caso a polpa não possui contato com o meio exterior. Assim a pressão interna, causada pelos exsudatos provenientes da inflamação, causa uma dor forte no paciente que não é resolvida com analgésicos (apenas abrandada). A morte pulpar ocorre com maior rapidez.

Pulpite crônica: Neste caso existe contato da polpa com o meio exterior. É uma forma de pulpite assintomática, pois como não existe confinamento, os exsudatos da inflamação são drenados para o meio bucal e não comprime a polpa. O processo de mortificação acontece mais lentamente. Pode ser subdivida em dois tipos.

1) Pulpite crônica ulcerativa: Neste caso a polpa exposta no meio bucal é acometida por uma úlcera de aspecto granuloso com fácil sangramento. Abaixo da úlcera temos uma barreira leucocitária e, mais abaixo, tecido com aspecto de normalidade.

2) Pulpite crônica hiperplásica: Acomete com maior frequência molares jovens com grande exposição da câmara pulpar. A polpa dental fica hiperplasiada e apresenta aspecto de pólipo de cor avermelhada. Também apresenta fácil sangramento.



Pronto. Com essa revisão, vamos tentar responder. O enunciado diz que existe exposição da câmara pulpar. Aí já eliminamos a alternativa C, pois não pode ser um quadro reversível. Sendo assim é irreversível e a letra C está correta.

Mas se você marcar essa, vai perder o ponto. Estamos numa daquelas questões onde é necessário marcar a "mais correta". A letra C está certa, mas não é a mais específica.

O enunciado diz que não dói mesmo ao toque, embora sangre facilmente. Esse quadro é compatível com a letra A e B. Como ele não dá mais descrições e nós não podemos ver o dente para ver a cara da polpa, temos que nos basear nos outros detalhes.

O Paciente é jovem e o dente acometido é um molar. E como vimos na nossa revisão, a Pulpite crônica hiperplásica é mais frequente nesse tipo de caso. Sendo assim a resposta mais correta é a letra A.

Na minha humilde opinião essa questão caberia recurso, pois várias alternativas estão compatíveis com um possível diagnóstico. Mas ela é importante para que a gente revise o assunto!

DICA: "Urgências em Endodontia" Manoel Eduardo de Lima Machado

Bibliografia:

www.forp.usp.br/restauradora/polpa.htm

4 comentários:

  1. Com toda a certeza cabe recurso. Eu aqui jurava que a correta seria a letra "B", a julgar que na pulpite crônica hiperplásica apresenta dor quando submetida a compressão, característica essa observado em outras literaturas, eliminando assim a possibilidade da letra "A" ser a mais correta pois o enunciado diz que a dor está ausente.

    ResponderExcluir
  2. A pulpite crônica hiperplásica causa estrema dor ao toque e a mastigação...então jamais seria a letra A...como diz o colega acima, está em tudo que é literatura...

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, segundo o livro do Neville, "o dente com pulpite crônica hiperplásica é assintomático, exceto pela possível sensação de pressão, quando colocado em função mastigatória" o que condiz com minha experiência clínica. Até porque esses pólipos demoram a se formar, e se fossem extremamente dolorosos, o paciente não esperaria tanto para tratar. Portanto, concordo que a resposta mais correta seria a A.

    ResponderExcluir
  4. Quando pré-adolescente já tive pulpite crônica hiperplásica e, no meu caso, doia bastante! Principalmente ao mastigar ou às vezes ao pressionar a língua no pólipo.

    ResponderExcluir